Academia Adventista de Arte comemora 60 anos

Tamanho da LetraA+A-

Um reencontro de músicos adventistas de diferentes gerações marcou a noite do dia 21 de outubro na Igreja do Unasp campus São Paulo. A ocasião celebrou os 60 anos da Academia Adventista de Arte, Acarte, através de um concerto sacro. Professores atuais e ex-professores cantaram, tocaram, regeram e se emocionaram juntos durante o programa que apresentou músicas cristãs interpretadas de forma instrumental e também vocal complementando assim as comemorações que estão acontecendo desde o início do ano.

No dia 3 de abril de 1956 foi inaugurada as instalações do Conservatório Musical Adventista. O prédio onde até hoje funcionam as salas de aula, o anexo para os ensaios das bandas e da orquestra e o auditório para recitais e concertos, foi construído por meio de uma doação da família Diaz Schuwantes.

Mas a relação entre música e ensino existe desde a fundação do Unasp. Os registros e fotos históricas evidenciam que assim que chegaram ao então Seminário Adventista, os primeiros alunos já trouxeram seus instrumentos musicais e formaram grupos instrumentais.

Na gestão do maestro e pastor, Willians Costa Junior, como diretor do conservatório, o nome da escola mudou para Academia Adventista de Arte. Segundo o ex-diretor, o objetivo era oferecer não apenas música, mas também outras expressões artísticas. “Era um sonho bem ambicioso, as limitações eram enormes, mas Deus abençoou bastante e eu não tenho dúvida da enorme contribuição da Acarte para a Música Adventista no Brasil”, afirmou Costa Junior.

Atualmente a Acarte conta com 500 alunos que são ensinados por 35 professores em diversos instrumentos musicais, além de aulas de percepção, musicalização, pintura e do Curso Técnico em Música. Durante o ano são apresentados mais de 60 recitais e cerca de 20 concertos abertos ao público, onde os alunos podem colocar em prática o que aprendem.

Ao longo das últimas décadas, a Acarte também contribuiu para o surgimento de diversos grupos musicais. Hoje, os 12 corais com cantores de diferentes idades somam mais de 1500 vozes. Além de 3 bandas, 4 orquestras de sinos, o Metal e Cia e a Orquestra Sinfônica Jovem do Unasp. Todos esses grupos juntos reúnem mais de 250 instrumentistas.

“O nosso principal sonho continua sendo utilizar a música para ser um elo muito forte entre os alunos e a igreja. A nosso intensão não é formar grandes músicos, é óbvio que eles irão surgir e ficamos muito felizes com isso, mas realmente a nossa principal intensão e objetivo é através da música fazer com que essas pessoas tenham maior contato com Deus e que possamos utilizar a música para apressar a volta de Jesus”, enfatizou Davinson Berger diretor da Acarte.

Por Murilo Pereira